O Grupo

      O grupo Filosofia, Educação, Linguagem e Pragmática (FELP) originou-se em 2004, como grupo de estudos com alunos de graduação do curso de licenciatura da Faculdade de Educação da USP, sob a orientação da Profª Dra. Cristiane Maria Cornelia Gottschalk. A partir de 2009 o grupo FELP incorporou alunos de pós-graduação do Programa de Pós-graduação da FEUSP e da FFLCH-USP.

      O grupo FELP foi cadastrado no Diretório de Pesquisas do CNPq em 2012, e atualmente conta com a participação de 13 pesquisadores (6 doutores e 7 mestres) e 6 estudantes de pós-graduação (dois doutorandos e quatro mestrandos vinculados aos programas de Pós-graduação da Faculdade de Educação da USP), tendo como líder a Profª Dra. Cristiane Maria Cornelia Gottschalk (coordenadora da área de Filosofia e Educação na Pós-Graduação da FEUSP de 2010 a 2016 e, a partir de 2019, coordenadora da área de Cultura, Filosofia e História da Educação na Pós-Graduação da FEUSP).

     Atualmente, o grupo tem dado continuidade ao projeto “A Formação de Conceitos no Contexto Escolar”, com foco em questões teóricas na área de filosofia da educação e da linguagem, como também tem se debruçado sobre temáticas mais voltadas para a prática pedagógica em diversas áreas do conhecimento, tendo como denominador comum uma reflexão sobre a aquisição de sentidos, sob a perspectiva das ideias da segunda fase do pensamento de Wittgenstein (sistematizadas por uma teoria pragmática do significado de inspiração wittgensteiniana, intitulada Epistemologia do Uso), com o objetivo de esclarecer questões educacionais de natureza filosófica. A aplicação desta perspectiva pragmática na educação distingue-se do pragmatismo de Dewey e de outras vertentes pragmáticas do construtivismo na educação: caracteriza-se pela sua concepção não-referencial da linguagem, incorporando elementos pragmáticos para explicar o processo de compreensão e construção de sentidos.

 

    As temáticas já abordadas pelo grupo e em andamento versam sobre o papel dos conceitos psicológicos na aquisição de conhecimentos e formação de valores; o ensino e aprendizagem dos direitos humanos no contexto escolar, a alfabetização matemática e da língua materna, o ensino e aprendizado de conceitos fundamentais da matemática, química e física; o ensino de filosofia no ensino médio; o conceito de autoridade docente; as noções de conhecimento em Pierre Levy; a educação musical na escola pública; as múltiplas significações do conceito de cidadania; a pesquisa em filosofia da educação; os conceitos de competência e de habilidade como propostos na pedagogia das competências subjacente à matriz do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM); o desenvolvimento do espírito crítico; e uma reflexão filosófica educacional sobre as atuais concepções pedagógicas no ensino da enfermagem; tendo todas estas temáticas como metodologia comum a terapia filosófica de Wittgenstein, e como objetivo geral a dissolução de confusões de natureza conceitual no campo da educação.